Projeto social na cidade de Remanso revela futuros talentos do atletismo

Os treinos acontecem em pistas improvisadas em Remanso. | Foto: Redes Sociais

Projeto social na cidade de Remanso revela futuros talentos do atletismo

Digiqole ad

O solo árido do sertão e as dificuldades sociais já são, por si só, empecilhos para os atletas do projeto criado por Edinei da Silva Matos. O também atleta e educador físico faz disso um incentivo a mais para seguir treinando meninos e meninas entre 12 e 17 anos do município de Remanso.

E para quem nasceu no sertão, lutar pelo sonho de se tornar atleta ganha ainda mais força quando os frutos do trabalho começam a aparecer.

“Mesmo com dificuldades nunca abaixei a cabeça e sempre sonhei com algo maior para mim e toda juventude. Eu vejo no olhar deles essa gratidão por estarem conhecendo um novo mundo e motivando pra vida”, disse.

Atualmente, o professor Edinei Matos leva os jovens do projeto para as pistas de corrida improvisadas duas vezes por semana para treinos que necessitam de muita força e velocidade. Para que nas competições, o fruto desse esforço venha em forma de resultados e medalhas.

Como foi o caso da última competição na cidade de Juazeiro no mês de junho. Em que diversos meninos e meninas foram para o pódio.

Os alunos do projeto tem entre 12 e 17 anos, são de origem humilde e precisam de apoio. | Foto: Redes Sociais

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mas a luta é ainda maior: é pelo reconhecimento da importância do projeto na vida dos jovens. É que o projeto não possui qualquer incentivo financeiro da gestão pública ou de empresas privadas, que possa manter o custo disso.

As crianças e adolescentes são todos de baixa renda e muito sobrevivem a base de doações. A crise socioeconômica agravou ainda mais a realidade deles. Falta inclusive alimentação.

O maior sonho do professor Edinei é ver o projeto com o mínimo de estrutura, como uma pista de corrida adequada.

E é juntando os amigos, principalmente os que vem do próprio esporte, que Edinei tem conseguido garantir equipamento, recursos e todo tipo de ajuda para seus talentosos atletas.

“A nossa grande madrinha é Ana Augusta, que consegue movimentar muita gente para ajudar o projeto”, revelou Edinei.

Ana Augusta adotou o projeto do professor Edinei | Foto: Redes Sociais

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ana Augusta Soares é advogada e triatleta, e abraçou Edinei como um filho desde que o conheceu. E por isso, faz questão de ajudar não só a ele, mas toda uma legião de atletas cheios de potencial.

“Eu conheci Edinei durante uma corrida. E por ter a mesma origem dele, decidi movimentar os amigos e conhecidos. Eu acredito muito que preciso fazer algo para ajudar. É muito fácil ver a realidade só através dos muros dos condomínios. Muita gente tem preguiça de ajudar. Mas aqui eu encontrei muita gente que topou vir junto e contribuir”, contou Ana Augusta, que usa as redes sociais para mobilizar ainda mais pessoas para contribuir com o projeto.

Ao todo, são 20 alunos que em breve devem ganhar novos colegas de treino. O objetivo do professor Edinei Matos é ampliar o projeto e levar o esporte para outras crianças e adolescentes da região.

Algumas histórias dentro do projeto vão além da dificuldade de acesso a bons materiais esportivos.

O garoto Wilian Santos, de 17 anos, é um deles. De acordo com o professor Edinei, o jovem mora sozinho desde que veio embora do Ceará para ter chance de estudar e trabalhar. Ele é um dos que enfrenta todo tipo de barreira: da alimentação por morar sozinho e não ter de onde tirar o sustento.

O próximo desafio da garotada é no jogos escolares do estado que acontecem em Salvador no mês de agosto. Dois deles foram classificados para o atletismo.

“A gente está muito feliz. É a primeira vez que atletas de Remanso vão a capital para uma competição como essa”, finalizou.

Conheça o projeto:

Digiqole ad

Veja também

Fale com a Redação